Mudança

Olá, pessoas, como estão?

Eu sei que sumi, mas é que meus dias estão uma loucura e hoje passei aqui só para dar satisfação para vocês.

Estou de mudança novamente, então minha casa está uma zona, estava uma correria no trabalho e agora aos poucos a vida vai voltar ao normal.

Por enquanto prefiro não falar o motivo de eu estar me mudando novamente, mas assim que eu tiver novidades compartilho com vocês 😀

Mas estou voltando para Santa Catarina, então até o final do mês estou na função da mudança. Essa semana eu vou tentar me organizar para escrever algumas postagens, mas como não consigo garantir, não vou prometer nada. hehehe.

Quando eu estiver instalada lá novamente, vou colocar todas as minhas resenhas em dia, isso eu prometo!

Por causa disso também não haverá “o que eu vou ler” desse mês, pois não vou conseguir ler mais nada além do que já li.

Enfim, espero que compreendam, logo estou de volta! 🙂

Beijo beijo

Aumenta o som! #5

Olá, pessoas! Tudo bem? Eu estou ótima 😀

Hoje é dia de fazer mais uma edição do “quadro” Aumenta o som!

Porque me sinto meio obcecada por algumas músicas no último mês e resolvi compartilhá-las com vocês.

aumenta-o-som-5

Começando, como já falei no final de semana, com a trilha sonora do filme “Como eu era antes de você“, e não, eu não resolvi postar ela só porque li o livro e assisti ao filme recentemente, antes mesmo de ver o filme eu já tinha viciado na trilha sonora, porque ela está demais! Ouço compulsivamente praticamente todas as músicas, mas especialmente Not Today, que já era a minha preferida desde quando foi divulgada. Enfim, todas as músicas têm a ver com a história e todas são lindas. Ouçam, por favor!

Segundo, recentemente saiu o disco novo do Red Hot Chilli Peppers, uma das bandas internacionais que eu gosto a mais tempo. Lembro que junto com o Linkin Park, foi uma das primeiras que fez meus olhinhos brilharem quando a MTV entrou na minha vida em meados de 2003.

O CD novo se chama The Getaway e eu gostei bastante.

E encerro com a banda Supercombo, eles lançaram agora recentemente a música “Rogério”, mas confesso que não conhecia o trabalho deles ainda e resolvi ouvir no final de semana e agora estou viciadinha, por isso resolvi colocar na lista. Amianto virou a minha preferida.

Espero que gostem das dicas musicais de hoje 🙂

Beijos

Filme: Como eu era antes de você

Olá, pessoas! Como estão?

Então, conforme falei no final de semana, hoje é dia de falar um pouquinho sobre o recém-lançado filme “Como eu era antes de você”.

E, assim como o livro, eu me sinto meio sem palavras para conseguir escrever sobre, mas de qualquer forma eu gostaria de compartilhar um pouco sobre o que eu achei com vocês.

Sinopse: Rico e bem sucedido, Will (Sam Claflin) leva uma vida repleta de conquistas, viagens e esportes radicais até como eu era antes de você filmeser atingido por uma moto, ao atravessar a rua em um dia chuvoso. O acidente o torna tetraplégico, obrigando-o a permanecer em uma cadeira de rodas. A situação o torna depressivo e extremamente cínico, para a preocupação de seus pais (Janet McTeer e Charles Dance). É neste contexto que Louisa Clark (Emilia Clarke) é contratada para cuidar de Will. De origem modesta, com dificuldades financeiras e sem grandes aspirações na vida, ela faz o possível para melhorar o estado de espírito de Will e, aos poucos, acaba se envolvendo com ele.

Bom, vou falar bem resumidamente sobre a história do livro, pois no sábado já postei a resenha dele, então se alguém quiser dar uma olhadinha, é só clicar aqui.

Louisa Clark é uma mulher sem muitos atrativos e que leva uma vida bem pacata e não tem nenhuma pretensão de mudar isso, até conhecer Will Traynor.

Clark perdeu seu emprego em um café e em busca de uma nova recolocação profissional acabou indo fazer uma entrevista na casa dos Traynor e para seu espanto, foi selecionada para vaga.

Will ficou tetraplégico depois de um acidente e agora não tem mais vontade de viver, e quando os dois se conheceram não tinham noção de que isso mudaria a vida de ambos.

No início Will é uma pessoa difícil de se lidar e que não se esforça muito para agradar, mas aos poucos os dois vão se acostumando com a presença um do outro e acabam se aproximando. Até o dia em que Lou escuta a conversa em que descobre que Will quer se ‘suicidar’ na Suíça. A partir desse dia, Clark faz o possível e o impossível para tentar convence-lo de que vale a pena viver. E no meio de todos os acontecimentos bons e ruins que acontecem entre eles, acabam se apaixonando…

Bom, não vou dar spoilers e nem nada, pois não sei até que ponto vocês conhecem a história.

O filme foi lançado no Brasil agora em junho, no dia 16. Fui assistir no primeiro final de semana.

No filme temos Sam Claflin, como Will Traynor, Emilia Clarke, como Louisa Clark, Matthew Lewis, como Patrick, Janet McTeer, como Camila Traynor, Brendan Coyle, como Bernard Clark, Stephen Peackocke, como Nathan, e alguns outros artistas.

No geral eu achei a adaptação muito boa, apesar de estar esperando um pouco mais de emoção. Não sei, pode ter sido só comigo, pois na minha sessão ouvi muita gente chorando, mas eu senti que não foi tão emocionante quanto eu esperava, apesar de ter sido um filme bonito.

Eu sei que é “errado” comparar as duas obras, mas não consigo evitar hahaha. Senti MUITA falta da cena do labirinto que acontece no livro, na minha opinião é uma cena chave para a trama, é uma informação importantissima que foi ignorada no longa. Apesar de imaginar que talvez tenham cortado fora por se tratar de uma cena forte que ficaria meio “fora do contexto” para um filme drama/romance, mas deveria ter sido citada de alguma maneira, não necessariamente filmada, mas pelo menos abordado o assunto.

Senti falta de alguns pequenos detalhes que fizeram toda a diferença no livro e que deixaram o filme meio desconexo e acho que isso acabou atrapalhando a percepção de quem não leu. Muitas passagens ficaram corridas e não foram explicadas. Eu entendo, é impossível contar um livro de 300 e poucas páginas em 1 hora e pouco de filme, mas alguns fatos ficaram meio mal explicados.

SPOILER ALERT!!!!

Principalmente sobre a tentativa de suicido do Will, o termino de namoro da Lou e do Patrick e a cena do último dia da viagem de Will e Lou quando ela diz que está apaixonada por ele.

Analisando como espectadora, se eu não tivesse lido o livro eu sentiria falta de um “quê” a mais. E como fui assistir com uma colega que não havia lido, percebi que realmente algumas coisas não ficaram tão claras.

Mas enfim, no geral eu gostei bastante apesar de ter sentido falta de algumas coisas que na minha opinião são importantes, mas de qualquer forma eu gostei muito e saí da sala de cinema com vontade de assistir novamente.

Achei que vale muito a pena. 🙂


Beijos

 

Resenha: Como eu era antes de você

Olá, pessoas, como estão? Por aqui tudo bem.

As próximas três postagens (contando com essa) vão ser meio que um especial “Como eu era antes de você“. Por que especial? Porque hoje a resenha vai ser do livro, terça do filme e quinta a edição de “Aumenta o som” terá a trilha sonora do filme. hehehe

Acredito que a grande maioria das pessoas já tenha visto, lido ou ouvido alguma coisa relacionada a essa história, então acredito que nada que eu fale será considerado spoiler, mas não posso prometer hahaha.

resenha-como-eu-era-antes-de-você

“Como eu era antes de você” conta a história de Louisa Clark e Will Traynor.

Depois de perder o emprego em um café, Lou se vê um pouco perdida e não sabe o que fazer com a sua vida, sua única certeza é que precisa urgente de um emprego pois tem que ajudar sua família em casa. Depois de várias tentativas frustradas em busca de um trabalho ideal, o cara da agencia de empregos informa que há uma nova vaga, para cuidador de um tetraplégico e não é necessário experiência na área.

Lou vai a entrevista meio desajeitada e com a certeza de que não conseguiria o emprego, ainda mais depois de se sentir totalmente intimidada pela “poderosa” Camilla Traynor, mas para sua surpresa, foi selecionada. A partir daí Will entra em sua vida.

Depois de vários e vários dias ruins em seu novo emprego, de pensar sinceramente em desistir, de não aguentar mais a arrogância e antipatia de Will, Lou perde um pouco a paciência e acaba gritando com ele e dizendo que ele não precisa ser tão babaca sempre, e a partir daí aos poucos o relacionamento entre eles vai melhorando.

Com o tempo Lou consegue ir ganhando a confiança dele e os dois conseguem passar por bons momentos juntos, até o fatídico dia em que Clark descobre que após o período de 6 meses em que ela trabalhará com a família, Will irá para Suiça ‘se suicidar’. A notícia bate como um soco no estômago de Lou e ela acaba desistindo de tudo e pede demissão. Camilla vai atrás dela e a convence a voltar pois a presença dela tem feito muito bem à Will.

Voltando, Lou decide usar o tempo que lhe resta para convencer Will de que vale a pena sim, continuar vivendo apesar de todas as dificuldades enfrentadas por ele no dia a dia. E a partir daí eles vivem mais momentos legais e algumas boas aventuras em uma viagem que ela programou para eles e Nathan (enfermeiro que trabalha com eles). Porém um dia antes de voltarem para casa, Lou descobre que todos os seus esforços foram em vão e que nada fará com que Will volte atrás…

A história é muito bonita e eu gostei muito. Já queria ler o livro a algum tempo, mas ia sempre adiando e adiando, como o filme estava prestes a sair, corri para ler antes de ver. Confesso que no início não estava gostando, pois a vida de Lou era monótona demais e me cansava, e Will era muito ingrato, arrogante e antipático. Porém depois continuando a leitura entendi tudo, o jeito de Lou, o porquê de ela viver do jeito que vivia, e entendi os motivos de Will, e isso tudo fez com que a história se tornasse ainda mais especial e bonita. Mesmo que o final não tenha sido o que todos esperavam, eu pelo menos tinha esperança de um final feliz, porém já imaginava que aconteceria o que aconteceu, mas de qualquer forma não me decepcionou.

Apesar de a história “rodar” em cima de Lou e Will, vários personagens são extremamente importantes durante toda a trama, como Patrick (namorado da Lou), Treen (irmã da Lou), Nathan e os pais tanto da Lou quanto de Will.

Vale a pena a leitura e se você é do tipo sensível, separa uma caixinha de lenços de papel, serão bem úteis 🙂

Beijos

Frases do livro:

— Você é uma grande esnobe, Clark.

— Eeeeu?

— Você recusa várias coisas porque acha que “não é esse tipo de pessoa.”

— Mas não sou mesmo.

— Como sabe? Você não fez nada, não foi a lugar algum. Como sabe que tipo de pessoa você é?

Como alguém como ele podia ter alguma ideia de quem eu era? Quase me irritei com ele por não entender de propósito.

 

“Sugiro uma companheira”, escreveu Grace31, de Birmigham. “Se ele amar, sentirá que pode seguir em frente. Sem amor, eu já teria afundado várias vezes.”

Essa frase ecoou na minha cabeça até bem depois de eu sair da biblioteca.

 

— Então vou dizer uma coisa boa — anunciou ele, e esperou, como se quisesse ter certeza de que tinha minha atenção. — Alguns erros… apenas têm consequências maiores que outros. Mas você não precisa deixar que aquela noite seja aquilo que define quem você é.

Você pode comprar o livro nos sites:

O que eu vou ler: Junho

Olá, pessoas, como estão?

Por aqui tudo bem, mas ainda na correria. Estou de mudança (de novo), então meus finais de semana estão sendo de arrumação por aqui. Enfim.

Hoje vou postar as minhas leituras do mês, no final do mês praticamente, mas antes tarde do que mais tarde né? hahaha.

6

Mês passado quase cumpri minha meta, faltou apenas o livro Stones vs Beatles, que eu comecei, mas a leitura não evoluiu e acabei deixando para depois. Como eu era antes de você vai sair resenha no sábado, e O Poder da ação você pode ler a resenha aqui.

Dessa vez vou escolher só dois livros para conseguir cumprir a minha meta. E os escolhidos foram:

O Sol é para todos

o-sol-é-para-todos-livroUm livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça.
O sol é para todos, com seu texto “forte, melodramático, sutil, cômico” (The New Yorker) se tornou um clássico para todas as idades e gerações.
• Com nova tradução e projeto gráfico, este clássico moderno volta à cena, justamente quando a autora lança uma continuação dele, causando euforia no mercado.
• Desde o anúncio de sua sequência, O sol é para todos é um dos livros mais buscados e acessados no site do Grupo Editorial Record.
• Já vendeu mais de 30 milhões de cópias nos Estados Unidos e, no último ano, ganhou a recomendação do presidente Barack Obama, que proferiu o seguinte elogio: “Este é o melhor livro contra todas as formas de racismo”.
• Vencedor do Prêmio Pulitzer.
• Escolhido pelo Library Journal o melhor romance do século XX.
• Eleito pelos leitores de Modern Library um dos 100 melhores romances em língua inglesa.
• Filme homônimo venceu o Oscar de melhor roteiro adaptado.

Depois de você

Em Depois de você, Lou ainda não superou a perda de Will. Morando em um flat em Londres, ela trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, Lou cai do terraço. O terrível acidente a obriga voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la.
Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.

Alguém já leu? Gostaram?

Bom restinho de semana.

Beijos