Dando um tempo

Olá, pessoas! Como estão?

Por aqui tudo bem, na correria pré-qualificação da minha dissertação.

Pois é, já não é de hoje que estou sumida do blog por estar com muita coisa acumulada no Mestrado, e é por isso que resolvi fazer essa postagem. Decidi que não vou postar mais até eu finalizar os artigos que tenho pendente e qualificar a dissertação. Ou seja, não terá postagem até o ano que vem, provavelmente.

 

Como falei anteriormente, em dezembro estou indo para Londres estudar inglês, então provavelmente eu ative o blog de novo só depois que voltar, porque não vou levar meu notebook para lá e não sei se vou conseguir postar pelo tablet. Se rolar, rolou, senão só em fevereiro mesmo.

Mas a noticia boa é que na volta terei muitas postagens legais!

Vou fazer as postagens que ficaram pendentes de Foz do Iguaçu e várias sobre Londres! Espero que valha a pena a espera de vocês hehehe.

Vez ou outra tenho conseguido postar no instagram do blog, e durante a viagem as chances de rolarem fotinhos será grande, então segue lá: @blogapenasimagine.

Então é isso gente, volto a ativa em fevereiro do ano que vem depois que passar toda essa loucura acadêmica. Ainda estarei com a fase final da Dissertação (pesquisa e análise de dados) mas estarei mais tranquila do que agora.

Espero que entendam e não me abandonem hehehe.

Beijos

 

Fonte da imagem

Diário de Bordo: Cataratas do Iguaçu – Foz do Iguaçu

Olá, pessoas! Como estão?

Eu estou cansada, mas bem feliz com tudo que tem acontecido nas últimas semanas. Enfim, no final de junho, início de julho fui para Foz do Iguaçu (Paraná) em um congresso de turismo e vou começar a postar sobre os locais que consegui visitar por lá.

Hoje vamos falar de uma das sete maravilhas do mundo: As Cataratas do Iguaçu.

cataratas-do-iguaçu-lado-argentino

As Cataratas do Iguaçu são um conjunto de cerca de 275 quedas de água no rio Iguaçu (Paraná), localizada entre o Parque Nacional do Iguaçu, que fica na parte do Brasil, e o Parque Nacional Iguazú em Misiones, na Argentina, na fronteira entre os dois países. A área total de ambos os parques nacionais corresponde a 250 mil hectares de floresta subtropical e é considerada Patrimônio Natural da Humanidade.

O parque nacional argentino foi criado em 1934, enquanto o parque brasileiro foi inaugurado em 1939. Ambas as áreas de proteção com o propósito de administrar e preservar o manancial de água que representa essa catarata e o conjunto do meio ambiente ao seu redor. Os parques tanto brasileiro como argentino passaram a ser considerados Patrimônio da Humanidadeem 1984 e 1986, respectivamente. Desde 2002, o Parque Nacional do Iguaçu é um dos sítios geológicos brasileiros.

Historicamente, o primeiro europeu a achar as Cataratas do Iguaçu foi o espanhol Álvar Núñez Cabeza de Vaca, no ano de 1541. Atualmente, é o segundo local mais visitado por estrangeiros no Brasil.*

A primeira vez que fui para as Cataratas tinha entre 9 e 10 anos, foi uma época de seca e elas estavam bem vazias. Mesmo assim já achei tudo maravilhoso. Me recordo de pouca coisa daquela viagem, mas lembro de ter achado elas lindas e que foi tudo muito divertido. Uns 5 anos depois fui para Foz do Iguaçu novamente porém acabei não visitando as Cataratas.

E agora, quase 10 anos depois, fui novamente (em junho). Fui à Foz para o Forúm Internacional de Turismo do Iguassu, (porque estou fazendo Mestrado nessa área), então fechamos uma caravana e fomos para o evento. Como não poderia faltar, no tempo livre passeamos pela cidade e no último dia antes de voltar para Balneário fizemos os passeios das Cataratas e Parque das Aves (terá postagem em breve).

Dessa vez o cenário foi totalmente diferente de 15 anos atrás, as Cataratas estavam cheias e lindas! Além de que agora o Parque tem uma estrutura muito melhor do que naquela época. Tudo mais organizado e uma infraestrutura ótima.

cataratas-do-iguaçu

Como estávamos no evento, ganhamos os ingressos para todas as atrações da cidade, mas o Passeio para as Cataratas atualmente está R$ 37,00 para adultos, crianças têm desconto. Nesse ingresso já está incluso o valor do ônibus que usamos lá dentro para chegar de uma “estação” a outra.

Durante o percurso de ônibus passamos por três estações, a primeira é da Trilha do Poço Preto, onde os visitantes tem a opção de fazer uma trilha dentro do parque (de 9km) tanto a pé, quanto de bike ou de carretinha. Esse passeio tem um valor a mais, encontrei na internet por R$ 277 reais.

A segunda parada é a do Macuco Safari, onde os visitantes tem a opção de fazer o passeio de barco dentro das Cataratas (encontrei na internet por R$ 213 reais) e a Trilha das Bananeiras (encontrei na internet por R$ 230 reais).

No ônibus indo para as Cataratas

E a terceira parada é onde começamos uma pequena trilhazinha para chegar até as Cataratas. No início é possível ver as quedas do lado Argentino e conforme vamos andando elas ficam ainda mais bonitas. No final da “trilha” conseguimos chegar bem perto de uma das quedas. Também tem uma passarela onde é possível “entrar” e chegar mais próximo da Garganta do Diabo. Por causa dessa proximidade com as quedas d’água, muitas pessoas acabam utilizando capas de chuva para não se molharem, porque dependendo do fluxo de água, a gente se molha MUITO. Mas fica a dica, compre as capas de chuva FORA do parque, lá dentro são o dobro ou o triplo do valor.

Também é possível fazer um passeio aéreo no Parque, feito de Helicóptero. O passeio tem em torno de 10 minutos e custa aproximadamente R$ 450 reais.

Tirando o valor da entrada, todos os outros valores dos passeios dentro do parque não são os valores oficiais do Parque porque não encontrei no site deles, esses são de uma agência de turismo que encontrei na internet enquanto pesquisava informações para complementar essa postagem.

Durante todo o passeio podemos ver várias placas dizendo “cuidado com os Quatis” e sim gente, tem que tomar cuidado mesmo. Eles são fofinhos mas muito traiçoeiros! Se você tiver comida na bolsa precisa de atenção redobrada com eles por perto, porque qualquer distração eles sobem na mochila e atacam com tudo! E assim que um consegue, surge um monte do além, vem Quati de lugar que a gente nem sabia que tinha. Sério, uma das meninas do meu grupo foi “atacada” por um deles e ficou meio traumatizada. Ela não se machucou e nem nada do tipo, um quati apenas entrou na bolsa dela e pegou um bis, mas o susto foi grande porque vários outros tentaram atacar a bolsa dela também e foi difícil tirar o que “entrou” dali. Eu me abaixei para tirar foto de dois que estavam próximo e senti umas “mãozinhas” geladinhas na minhas costas, era um que já tava tentando subir em mim, isso que eu nem tinha comida na bolsa!! Então é bom cuidar e principalmente não dar comida para eles.

O passeio vale muito a pena, principalmente em dias abertos e ensolarados, pois formam lindos arco-íris. No ano que vem quero tentar conhecer o lado Argentinho, porque ainda não conheço e alguns amigos dizem que é ainda mais bonito do que o “nosso lado”.

Recomendo muito o passeio e se tiverem alguma dúvida, é só deixar um comentário que se eu puder ajudar, responderei com o maior prazer! 🙂

A entrada para o Parque pode ser comprada nesse link oficial.

cataratas-do-iguaçu-com-arco-iris

*Fonte

Em breve também falarei um pouco dos outros passeios que fiz: Parque das Aves e Mesquita Muçulmana, além de locais para comer e se hospedar. Conforme for sobrando um tempinho para escrever, posto para vocês. Espero que gostem 😀

Faça reservas para a sua próxima viagem através do Booking. Pelo link você encontra as melhores ofertas e me ajuda a manter o blog 🙂



Booking.com

Minha primeira corrida 5k: Circuito Brisas Moleca

Olá, pessoas! Como estão?

Estou postando meio atrasada, mas continuo feliz com a minha realização de junho! Porque completei a minha primeira corrida de 5km e fiquei super feliz com o meu resultado.

Sempre fui meio atleta, a maior parte da minha vida. Quando era pequena me metia em todos os times esportivos da escola que fossem possíveis, futebol, handball, basquete, vôlei, corrida, fazia de tudo um pouco apesar de ter levado mais a sério somente o vôlei. Enfim, falei isso só para ilustrar o quanto de esporte eu fazia até sair do ensino fundamental. No ensino médio fazia ginástica, caminhadas e o esporte que as professoras resolviam dar nas aulas de educação física, e sempre dava o meu melhor porque gostava. Depois do ensino médio fui me transformando numa pessoa meio sedentária, fazia muita coisa a pé, mas não considerava exercício e nem nada do tipo.

Depois de uns 2 ou 3 anos sem fazer esportes, começaram a aparecer dores no corpo, pois tenho encurtamento do músculo posterior de coxa, então as caminhadas estavam forçando meu joelho e de quebra, depois de parar com o vôlei, meu músculo do ombro ficou ‘mais fraco’ e começou a doer também. Tive que começar na academia, coisa que nunca gostei mas que depois até peguei um pouco de gosto porque tinha professores muito legais.

Depois que me mudei pro Rio Grande do Sul não tinha mais tempo e nem dinheiro para frequentar a academia, e muitas vezes nem de caminhar, pois chegava tarde em casa e eu não gostava de ficar “dando sopa na rua”, por isso as caminhadas foram excluídas da minha vida nessa época. Com isso o sedentarismo quase tomou conta e fiquei bastante tempo fazendo absolutamente nada de exercício físico.

E é por isso que estou muito feliz de ter completado a prova em junho. Depois que voltei para SC, minhas caminhadas voltaram, mesmo que fossem só indo e voltando da Universidade, mas já era alguma coisa. Por causa da bronquite e a falta de exercício dos últimos anos, não achava que seria capaz de terminar uma prova dessas, principalmente porque não tenho o habito de treinar.

Uma amiga do mestrado me convidou para participar da prova do Circuito Brisas Moela e eu topei para ver se conseguiria completar. Treinei alguns dias durante as semanas que antecederam a prova, mas considero que foi muito pouco, mas o suficiente pra me deixar mais confiante e com um pouco mais de fôlego hahaha. Como aqui costuma chover muito, não consegui treinar o quanto gostaria, mas pelo menos deu para sair alguns dias.

O Circuito Brisas Moleca aconteceu na Praia Brava, em Itajaí, Santa Catarina e foi uma promoção da Moleca. Em virtude disso, era uma corrida só para mulheres, os homens que “participaram” estavam apenas acompanhando suas mulheres/namoradas e afins sem competir junto. Com a inscrição ganhamos um kit lindo com camisetas, toalha, copo e uma bolsinha. Depois da corrida uma medalha de participação, que também achei maravilhosa.

O percurso foi a beira mar, de manhã e eu gostei muito! Penso até em tentar criar uma rotina de corridas semanais para quem sabe, correr outras futuramente. No momento esse meu pensamento tem sido meio furada, porque realmente está faltando tempo para sair para “treinar”, mas continuo querendo kkkk.

Durante os meus “treinos” acabava fazendo um pouco mais do que 5 km, então não tinha uma noção de quanto tempo eu fazia o percurso da corrida, claro que ia correndo e caminhando para não ter nenhum problema e não forçar demais em virtude de não ter um preparo bom nos últimos tempos. No dia da corrida fiz em 39 minutos e achei demais, porque imaginei que levaria pelo menos 45 minutos, então fui bem melhor do que achava que iria.

medalha cirurcuito brisas moleca

Acho que agora eu entendo porque as pessoas que começam a correr ficam tão empenhadas em seguir em frente, gente, esses eventos são muito legais!!! Pena que são tão caros hehehe.

Mas gostei muito e super recomendo vocês a tentarem, principalmente se alguém acha que não consegue. No domingo da corrida fui para me divertir e ver se eu conseguiria, pois sempre quis participar de uma dessas corridas mas sempre achei que não conseguiria cruzar a linha de chegada e hoje sei que consigo. E estou muito feliz por isso. Foi uma “superação” pessoal.

E vocês, já participaram de alguma?

Minha próxima meta é concorrer em uma de 10km, porém, acredito que ainda leve um tempinho até conseguir essa realização hahaha.

 

beijos

 

Desejo do mês: Gorila Clube

Olá, pessoas! Como estão?

Por aqui tudo certo, com pouco tempo livre, mas tudo indo maravilhosamente bem, principalmente em relação ao Mestrado.

Faz muito tempo que não faço nenhuma postagem de “Desejo do mês” e a de hoje é especial!

Especial? Mas porquê, Camila? Por que estou muito, muito feliz em fazer a minha primeira parceria com o blog! Muito contente em firmar parceria com a Gorila Clube, que não deu bola para o fato de o blog ainda não ser muito grande e sou grata por isso.

A Gorila Clube é uma loja de presentes super criativos e diferenciados, vale muito a pena dar um pulinho no site, tenho certeza que vocês vão amar t-u-d-o!

A parceria começou através do Blogs Brasil (aproveita e me segue lá) e espero que seja duradoura 🙂

Então hoje vou falar pra vocês um pouco sobre alguns produtos da loja: Quadros de Porta-Chaves.

Quem nunca ficou louco atrás da chave de casa, do carro, ou de qualquer lugar quando precisa sair de casa? Parece que elas resolvem sumir sempre que precisamos delas!

Então lá vai várias opções lindas de porta chaves para vocês:

parceria-gorila-clube-1

Modelo 1 | Modelo 2 | Modelo 3  | Modelo 4

Comecei com esses relacionados a música e filmes porque eu sou apaixonada por isso! A música move minha vida a muitos anos e “devo”  muitas coisas legais que aconteceram na minha vida as bandas que sou fã. E os filmes são sempre uma das melhores formas de escapar por algumas horas das preocupações da vida e tudo o mais. Escolhi essas fitas k7 porque me trazem nostalgia, muito fiquei esperando tocar minhas músicas preferidas na rádio para poder gravar nessas fitas. Muita gente nem sabe mais o que é! hahaha. A claquete de cinema porque eu acho muito legal e o outro “My precious” do Senhor dos Anéis, que apesar de não ser tão fã da trilogia eu acho essa frase sensacional e inclusive sempre que ouço alguém falar “precioso” eu penso nela com a voz do Gollum na minha cabeça.

parceria-gorila-clube-harry-potter

Modelo 5 | Modelo 6 | Modelo 7

Depois Harry Potter, né gente? Como não amar? Me tornei fã da série bem tarde, com 20 anos, mas hoje em dia tenho um carinho muito especial e gosto muito, por isso resolvi colocar três opções aqui. Todo ano gosto de fazer maratona pelo menos 1x por ano. Pretendo comprar a versão dos livros em inglês para reler também num futuro – espero que próximo.

parceria-gorila-clube-3

 

Modelo 8 

Por último eu escolhi a cabine telefônica símbolo de Londres, porque? Porque é meu próximo destino!! Sim, estou indo passar um mês em Londres no final do ano, farei um intercâmbio pra aprender inglês e estou super-hiper-mega animada! Não vejo a hora, e sei que vou trazer alguma lembrança de lá relacionada a cabine então escolhi ela para deixar aqui já a minha animação 🙂

 

Para acessar todos os produtos vocês podem clicar nos links abaixo de cada imagem, para ter acesso a cada página do produto, se quiser, também pode clicar nesse link aqui para acessar todos os Porta Chaves disponíveis no site.

Ou também você pode acessar o site do gorilaclube.com.br e ver todos os produtos incríveis que eles têm. Tem muita coisa, relacionada a filmes, video-games (inclusive com referências ao Nintendo – saudades!), a marcas, cidades e muito mais! Vale muito a pena conferir.

Você também pode seguir e curtir a loja nas redes sociais:

Instragram: @gorilaclube
Facebook: @gorilaclube 

Muito amor, né gente?! Espero que tenham gostado e ficado feliz tanto quanto eu por fechar a minha primeira parceria! 🙂

Beijo beijo e boa semana!

 

Trilha Laguna 69 – Parque Nacional Huascarán (Perú)

Olá, pessoas! Como estão?

Hoje vou fazer a última postagem sobre a minha viagem ao Perú (acredito que seja a última hahaha). A não ser que eu lembre de mais alguma coisa mais pra frente, mas do que eu havia programado para escrever, será a última.

Hoje a postagem vai ser sobre a trilha para a Laguna 69, um dos locais mais procurados da região de Huaraz e do Parque Nacional Huascarán. E de longe o lugar mais bonito que já vi na vida.

Laguna 69 é um dos locais mais procurados por quem viaja para essa região do Peru em busca de aventuras. Localizado no Parque Nacional de Huascarán, possui um percurso de 14 quilômetros, sendo 7km de ida e mais 7 de volta e chega na altitude de 4600 metros. Ela faz parte de cerca de 400 lagunas que existe no parque. Infelizmente o guia que nos levou nesse passeio era péssimo e nos passou poucas informações sobre o local. A única coisa que falou (quando nós perguntamos) é que se chama Laguna 69 porque cada lago tem um número e a maioria faz o percurso para essa por ser a mais bonita.

trilha-laguna-69-peru-huaraz
Início da aventura e um pouco do percurso

A Laguna 69, assim como o Glaciar Pastoruri, também é considerado Patrimônio Natural da Humanidade, além de ser considerado Reserva da biosfera pela UNESCO.

Dica muito importante para quem vai fazer a trilha: vá com sapatos especiais para trilha, se não tiver, alugue no hostel (o nosso tinha disponível), eu acabei não alugando porque todo mundo que me falou sobre a trilha achou que não era necessário falar o quão difícil é subir, a quantidade de obstáculos, de pedras, de limo, de água. Sim, eu fui fazer a trilha sem saber absolutamente nada sobre o local e acabei me dando mal. Se possível leve capa de chuva também, quando fomos choveu boa parte do percurso. A única coisa que eu fiz foi colocar sacolas nos pés, porque a única informação que eu tive era que eu poderia molhá-los. E isso me ajudou muito! Principalmente porque fui com um tênis normal. Ao contrário do Glaciar Pastoruri, nessa trilha não tem opção de alugar sapato e capa de chuva no local.

Por ser uma trilha mais longa e muito puxada, o passeio começa cedo, saindo do hostel as 5:30 da manhã. Em virtude do horário, ninguém consegue tomar café, então no meio do caminho o ônibus para em lugar para as pessoas tomarem café.

Nesse dia tivemos muitos problemas com a excursão contratada, infelizmente não me lembro o nome deles, mas além do guia não ter feito o papel de guia de nos informar sobre o local, nosso ônibus quebrou logo no ínicio antes de sairmos de Huaraz. Ficamos 1 hora esperando por um ônibus novo que mais tarde quebrou também e por causa disso causou muitas confusões com o ônibus que pegaríamos as 21h de volta para Trujillo. Mas enfim, vamos falar de coisa boa: a trilha.

O passeio começa de ônibus, o caminho é longo até chegar no local onde começamos de fato a trilha. Fazemos uma parada para o café da manhã, e depois fizemos uma parada na Laguna Llanganuco, que é tão maravilhosa quanto a Laguna 69. Nosso guia não queria parar, mas de tanto a gente pedir, pararam por 5 minutos para tirar umas fotos. Foi muito ruim ter que fazer tudo correndo porque o ônibus deles resolveu quebrar.

Laguna Llanganuco

Então, como falei no início, essa trilha tem 14 km de extensão. Quando falaram isso eu já me assustei porque apesar de caminhar com frequência, eu raramente consigo fazer mais do que 6km sem começar a reclamar ou a ficar entediada. Por causa do nosso problema com o ônibus o guia nos obrigou a subir e descer em 6 horas, outro ponto que me chateou porque pude ficar pouco tempo admirando esse lugar maravilhoso.

A trilha é muito difícil, tem poucas partes de percurso em linha reta e sem elevação. A parte do início que é mais tranquila, acho que dá mais ou menos 1 ou 2 km e depois já começam as subidas. Tem parte com muito limo, outras partes que temos que atravessar partes de cachoeiras, muita pedra, muita subida, muito mato e fezes de vaca/boi. Falando nelas, cuidado, porque eu quase fui atacada e perseguida por uma.

trilha-laguna-69-peru-huaraz2

Por causa da altitude é muito comum sentir falta de ar, um cansaço maior do que sentiria se fosse no Brasil e dor de cabeça. Foram esses os sintomas que eu senti durante o percurso. Por sorte tive apenas dores de cabeça leves, quando começava eu já colocava umas folhas de coca na boca e logo passava.

Levei 3:20h para subir e 2:10h para descer. A subida foi pesada, obviamente, e a pior parte é a última parte por ser mais ingrime, estreita e ter muitas roxas (eu tinha medo de cair). A cada curva você pensa “será que agora já chegou?” e não, não chegou kkkk. Todas as pessoas que encontrei descendo – e eu conseguia identificar a língua que falavam – eu perguntava se faltava muito hahaha. Mas é recompensador. Como já falei na postagem sobre a cidade de Huaraz, fomos em um grupo de 20 pessoas, mas a subida foi meio solitária porque no início até começamos todo mundo meio junto, mas depois algumas pessoas vão ficando para trás e outras vão indo na frente, então passei boa parte do trajeto sozinha.

É muito comum as pessoas não conseguirem chegar ao topo, muitos passam mal ou não conseguem por causa dos limites físicos de cada corpo. Do meu grupo, acho que 50% ou quase 50% de pessoas desistiu e não chegou ao fim. Teve gente que desistiu quando estava quase lá e teve gente que desistiu logo no início, é normal. É muito importante cada pessoa conhecer o seu limite para não acontecer algum problema, principalmente porque muitas vezes acabamos indo sozinhos e caso alguém passe mal, estamos no meio do nada.

Apesar de ter achado a subida muito difícil, a descida também não foi nem um pouco fácil. Principalmente porque quando começamos a descer já havia chovido mais e com isso deixou todo o caminho mais úmido do que no início e as partes que havia água, estavam com mais água ainda. Eu escorreguei 2 vezes, sorte que não me machuquei e nem nada do tipo, apenas sujei metade da calça. Sorte também que desci com um grupo dos intercambistas que estavam comigo e mais um peruano que encontramos no caminho e ele me ajudou nas partes mais difíceis e ficou cuidando se estava tudo bem.

Cara de cansados, mas felizes por ter chego ao fim! Na foto: Dinamarca, México, Austrália e Brasil

Dica de roupas: Vá com roupa leve por baixo, porém bem agasalhado. Durante o percurso o corpo esquenta e a gente começa a tirar todos os casacos, cachecol e  touca. Mas conforme a altitude vai aumentando, vai ficando mais frio e precisamos ir recolocando as roupas. A chuva também deixa o clima mais frio. Em alguns momentos a chuva quase virou neve. No dia que eu fui, o clima estava bem instável, choveu, deu sol, ficou nublado, de tudo um pouco.

Cansada, molhada da chuva, mas muito feliz de estar nesse lugar maravilhoso

Bom, acho que é mais ou menos isso. Um pouco sobre a minha experiência na Laguna 69.

Como já havia falado na postagem do Glaciar Pastoruri, o passeio saiu por 65 soles (os dois – se eu não me engano), porque estávamos em um grupo grande. Nesse dia novamente tivemos que pagar 10 soles para entrar no Parque, que é o valor do ingresso.

Se eu lembrar de mais algum passeio legal que fiz no Peru, postarei mais para frente.

Logo começo a postar sobre a viagem que fiz para Foz do Iguaçu no final do mês passado 🙂

Beijos

Perdeu alguma postagem sobre a viagem? Leia nos links abaixo:

 

Faça reservas para a sua próxima viagem através do Booking. Pelo link você encontra as melhores ofertas e me ajuda a manter o blog 🙂

Booking.com