Olá, pessoas!

Como estão? Eu estou bem, ainda maravilhada com a cidade de Londres e extremamente triste por estar de volta! hahaha.  Não imaginei que fosse me apaixonar tanto assim…. mas enfim.

No post de hoje vou falar algumas dicas legais para quem pretende conhecer a Terra da Rainha. Algumas dessas coisas eu soube previamente, tanto pesquisando na internet quanto pela minha agência de intercâmbio e outras fui descobrindo durante a minha estadia por lá.

Bom, fui para Londres agora em dezembro de 2017, fiquei 40 dias por lá, um mês estudando inglês e passeando por Londres e mais duas semanas em Brighton, visitando minha prima.

1- Imigração: A imigração pode variar de pessoa pra pessoa, não adianta, às vezes eles nos enchem de perguntas e às vezes praticamente deixam passar sem olhar direito pra nossa cara. A minha imigração no aeroporto Heathrow foi muito tranquila. Confesso que estava esperando um interrogatório e por isso fui preparada (principalmente porque não falava muito bem inglês).

Levei todos os documentos que poderiam me pedir: carta da escola, carta da acomodação, carta da minha prima, passagem de ida e volta, seguro viagem. Esses são os documentos que normalmente são mais importantes, mas por via das dúvidas levei até um cronograma do que eu pretendia fazer cada dia, os locais que gostaria de visitar e esse tipo de coisa, para caso perguntassem.

No fim perguntaram apenas se eu estava viajando sozinha, falei que sim e já emendei “vou estudar inglês”, a mulher me pediu a carta da escola e carimbou meu passaporte. Mas algumas pessoas que conheci durante minha estadia tiveram um pequeno interrogatório, então é bom ir preparado e com os documentos em mãos para não correr riscos.

Fonte da imagem

2- Transporte público: compre o Oyster Card. Esse é o cartão utilizado em todos os meios de transporte de Londres, desde o Underground, e até para passear de barco.

Vi que algumas pessoas compram o cartão e pedem para entregar no Brasil para já chegar lá com ele em mãos, isso não é necessário. Você vai poder comprar o Oyster em qualquer estação do Underground e também em várias outras lojas. Eu comprei o meu lá e não me arrependi.

Na hora da compra é necessário escolher quais as zonas (do Unterground) você pretende utilizar, e ele será valido apenas nas estações que estão nessas zonas, para utilizar nas outras é necessário recarregar o valor da passagem no cartão.

Você pode comprar o Oyster ilimitado por 1 dia (all day), 1 dia off-pack (fora de horário de pico), 1 semana ou 1 mês, ou pode recarregar o valor que quiser e ir utilizando. Antes de viajar fiquei pensando se compensaria comprar o cartão ilimitado de um mês (paguei £ 131,80 – Zona 1 e 2) e valeu MUITO a pena! Andei pra cima e pra baixo no Underground e de ônibus, não tive nenhum problema e super aprovei. No final da viagem se você quiser devolver o cartão em alguma das lojas que vende, você pode e eles te devolvem £5.

E é sempre importante ressaltar: respeite a regra de “mantenha-se a direita e caminhe pela esquerda”.

Fonte da imagem

3- Local para ficar: se for ficar em hostel ou hotel, eu indico que leia bastante as avaliações desses locais nos sites como TripAdvisor e Booking. No meu primeiro dia fiquei em um hostel que escolhi pelo preço (que dúvida kkk) e também pela localização e no fim era um hostel bem ruim, com a estrutura que parecia bacana nas fotos, mas pessoalmente era 30% daquilo.

4- Local para comer: Não posso indicar muitos locais para comer, porque sim eu passei boa parte do tempo comendo Mc Donalds, principalmente pra economizar e também porque era prático e perto da escola. Mas comi em alguns restaurantes italianos maravilhosos. Você também não pode deixar de provar o Fish & Chips, tradicional da Inglaterra. Confesso que me decepcionei um pouco, mas um inglês me falou que provavelmente o local que fui não era muito bom. Acabei não tendo tempo de provar em outro local, então vai ficar para a próxima. Se tiver a opção de cozinhar ou comer na sua acomodação, os mercados são bem baratos.

5- Educação: Foi uma das primeiras coisas que notei durante a minha estadia, principalmente porque os ingleses tem a fama de não serem simpáticos e/ou querer ajudar os turistas. Discordo totalmente, não tive nenhum problema com ninguém durante meus 40 dias no país, todas as vezes que precisei de informação eles não só foram solícitos como simpáticos, alguns chegaram a parar o que estavam fazendo para me ajudar!

A maior diferença com a educação brasileira que senti foi no transporte público, pois lá todos respeitam a “ordem” de primeiro as pessoas saem e depois a gente entra, e também na hora de sair, mesmo em horários de pico com as estações e metrôs lotados, nenhuma pessoa esbarrava em mim e as vezes só por QUASE esbarrar, já pediam desculpas. Então é importante ter o mesmo respeito com eles.

Ah, e para mim que sou mulher, foi fantástico poder andar nas ruas sem receber buzinadas, cantadas e palavras idiotas de homens que não tem o que fazer. Melhor coisa do universo!

6- Segurança: Outro ponto que fez com que eu amasse ainda mais essa cidade foi a segurança. A tranquilidade de andar qualquer horário na rua, mesmo sozinha, com celular na mão e sem ter medo de ser assaltada foi uma experiência que eu não estava mais acostumada a vivenciar.

Mas vale ressaltar que não é porque é seguro que não corremos riscos,  dificilmente você será abordado para ser assaltado, mas existem furtos, então cuidado nunca é demais. É bem mais difícil de acontecer do que em algumas cidades aqui do Brasil, mas existem casos.

7- Clima: para muitos isso é um problema, para mim não foi. Eu amo inverno e frio então me agradou muito viajar para lá durante os meses de dezembro e janeiro. O clima de Londres é normalmente mais fechado, nublado, com chuvisco, não é a toa a cidade é conhecida pelo seu péssimo clima.

Mas mesmo no inverno é possível sim pegar dias lindos de céu muito azul e sol, eu tive a sorte de conseguir pegar alguns dias assim. Nas minhas semanas em Londres peguei apenas 2 dias de chuva, sendo um deles de chuva mais forte. Mas no geral peguei dias legais e mais ou menos (nublados). É importante ressaltar que no inverno anoitece as 16h e isso foi uma das poucas coisas que estranhei.

8- Água da torneira: sim em qualquer estabelecimento, se você pedir água da torneira, eles te dão um copo (ou jarra) de graça.

Eu achei o gosto da água de lá bem diferente da nossa e demorei para acostumar, mas vale a pena, principalmente se não quiser beber refrigerante, cerveja ou afins, ou mesmo economizar com a bebida.

9- Leituras: se você é do tipo de pessoa que gosta de ler jornais, principalmente no percurso do metrô, eles são gratuitos e distribuídos nas ruas. Todos os dias duas edições: de manhã e a tarde.

10- Chip de celular: dependendo de quanto tempo você vai ficar no país, compensa comprar um chip. Eu comprei o meu (gratuito porque coloquei crédito) da operadora 3.

Como eu sou muito perdida e sabia que teria que usar bastante o Google Maps, comprei o pacote de 1 mês de internet ilimitada, paguei £35. Além da internet ilimitada ganhei também chamadas e sms ilimitado. Mas eles também vendem planos mais baratos, com plano de internet limitado. E também vendem por períodos menores, como semanais.

11- Peça ajuda: Londres é uma cidade enorme e a gente consegue se perder muito facilmente (eu perdi as contas). Por isso o Google Maps vai ser seu melhor amigo.

Mas não tenha medo de falar com os nativos para pedir ajuda, como falei anteriormente, esse papo de que os londrinos são mau educados é pura balela! Inclusive outras pessoas que conheci lá comentaram que se espantaram por eles não serem mau educados. Se a pessoa souber te ajudar, ela vai te ajudar.

Eu perdi as contas de quantas vezes pedi informação, e a única vez que uma pessoa não me ajudou foi porque o cara falou que também estava perdido hahaha.

 

Essas são as minhas dicas iniciais para quem está pensando em viajar para Londres. Em breve farei mais postagens com os locais que conheci por lá. No mais, desejo a vocês uma ótima viagem pois Londres é apaixonante.

Beijos.

 

Reserve sua estadia em Londres pelo Booking e nos ajude a manter o blog <3.


Booking.com

11 Dicas para quem vai viajar para Londres

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *