Olá, pessoas! Como estão?

Hoje vou falar sobre a trilha que fiz em janeiro para ver o Glaciar Pastoruri, no Peru. Essa foi a primeira trilha que fizemos, por ser menor do que a da Laguna 69, apesar de esta chegar até 5 mil metros de altura (a da laguna chega um pouco menos) ela é mais curta de extensão e nos recomendaram começar por ela justamente por isso.

Essa trilha fica dentro do Parque Nacional Huascarán, próximo a cidade de Huaraz. Para fazer esse passeio, se eu não me engano custa 35 soles (para grupos maiores), como fizemos as duas trilhas, pagamos 65 soles pelas duas. Na entrada do Parque temos que desembolsar mais 10 soles, que é o valor cobrado para entrar no parque e não está incluso no valor do passeio.

A agencia contratada pelo nosso hostel passou as 9h da manhã para pegar todo mundo e depois em outros dois até lotar o ônibus. Fizemos uma parada no caminho, onde pudemos comprar folha de coca, que ajuda muito em relação a altitude! Cachecol, luvas e apetrechos para o frio.

Antes de chegarmos à trilha de fato, o ônibus faz algumas paradas, para alguns super legal, para outros meio desinteressante. A primeira parada é para ver água gaseificada naturalmente. Confesso que não vi nada de muito interessante nessa parada, exceto pelas belas paisagens.

Depois paramos em um lago, que segundo nosso guia, é colorido. Porém o dia estava bastante fechado e parece que só é possível ver alguma coisa quando o dia está mais ensolarado ou pelo menos com um pouquinho de sol. Com isso a parada se tornou meio deprimente para quem ama fotografia como eu. Mas durante o trajeto nosso guia foi falando várias coisas interessantes.

1) água gaseificada. 2) paisagem. 3) lago “colorido”

A parada seguinte é para ver as Puya Raimondi, flores típicas da região e que estão entrando em extinção. É uma planta que pode viver mais de 100 anos. Floresce apenas umas vez “na vida” durante um período de 2 a 3 meses. Podem medir de 2 a 12 metros e a maior desse parque tem 12 m. Ela é parente do abacaxi. São enormes e achei lindas, fico imaginando florida!

Puya Raimondi
Puya Raimondi

Depois chegamos no início da trilha. No começo tem local para alugar sapatos de trilha e outras coisas que podem ser necessárias. Caso não tenha, uma roupa impermeável é bom, porque normalmente chove e neva durante o percurso. Eu não aluguei nada, fui com meu tênis de corrida mesmo e deu tudo certo. A trilha tem 4km de extensão, sendo 2km de subida e mais 2 de descida. (como vocês podem ver no satélite do meu runkeeper abaixo hehehe). Também é possível fazer esse trajeto à cavalo, pagando uma quantia por isso, mas como eu não fui, não lembro quanto era, talvez uns 5 ou 10 soles (não tenho certeza). Na imagem podemos ver a altitude, e também como o gelo está sumindo 🙁

Parece simples quando a gente pensa “ah, são só 4km”, foi o que eu pensei quando cheguei lá e depois me arrependi de ter dito. Como podem ver, levei 1:30 para fazer “só 4km”. Havia esquecido do detalhe que iriamos chegar a 5 mil metros. Então em virtude disso, a caminhada se torna um pouco mais lenta e cansativa. Eu senti falta de ar em alguns momentos, mas nada preocupante. Nessa trilha não precisei mascar folha de coca, no início acabei mascando apenas para ver se era bom (e não gostei), por isso resolvi mascar apenas se sentisse alguma coisa e fosse necessário.

O Glaciar Pastoruri  foi declarado Patrimônio Natural da Humanidade em 1985, fica ao sul da Cordillera Blanca. A parte mais alta do nevado chega a 5.201m.

altitude-huaraz-glacial-pastoruri

A informação mais triste que o guia nos passou foi que em 5 a 10 anos o Nevado pode (e provavelmente vai) desaparecer em virtude do aquecimento global. Até 2 anos atrás eram realizadas competições nacionais de esqui durante o inverno e o gelo já retrocedeu tanto nos últimos anos que atualmente já não são mais realizados. O nevado ficou fechado por alguns anos, justamente para tentarem recuperar a área de gelo perdida, mas infelizmente não há mais recuperação e a tendencia agora é o gelo desaparecer aos poucos.

Acredito que durante o inverno a paisagem seja diferente, como eu fui no verão, obviamente tinha menos gelo. Mas o guia também nos contou que mesmo no inverno, já não é como era antes. A parte que ainda possui gelo é cercada e não é possível tocar na neve, porque com o passar dos anos e dos estudos, descobriram que a simples presença do homem fazer com que o gelo derreta mais facilmente, em virtude disso, não pode-se mais brincar na neve como era possível antigamente.

O lugar é lindo e vale muito a visita, pelo menos enquanto há tempo.

Espero que gostem.

Beijos

Perdeu alguma postagem sobre a viagem? Leia nos links abaixo:

 

Faça reservas para a sua próxima viagem através do Booking. Pelo link você encontra as melhores ofertas e me ajuda a manter o blog 🙂



Booking.com

Glaciar Pastoruri – Parque Nacional Huascarán (Perú)

Uma ideia sobre “Glaciar Pastoruri – Parque Nacional Huascarán (Perú)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *