Livro: O que fizeram com a sua segunda-feira?

Autor: Bruno Mendes
Editora: 5W
Paginas: 238
Ano Da Edição: 2014

Sinopse: “O que fizeram com a sua segunda-feira? – Ter sido o pior aluno em todos os anos da escola e O que fizeram com a sua segunda-feira_capanão ter a mínima ideia do que fazer da vida até os 22 anos de idade era algo que me incomodava. Será que o trabalho precisa ser mesmo um fardo? Vou passar boa parte da minha vida fazendo algo que não gosto?

Depois de descobrir o que me empolgava para levantar da cama numa segunda-feira, hoje sou doutorando em Administração pela PUC-Rio, mestre em Administração pela FGV, com especialização em Empreendedorismo pela École Supérieure de Commerce de Paris. Aos 28 anos, atuo como professor universitário, palestrante e escritor.

Não ter gostado da escola e ter encontrado meu caminho justamente nas salas de aula e nos estudos é paradoxo suficiente para mostrar quão interessantes podem ser os caminhos da vida e a escolha de nossa carreira.”

Nos últimos tempos tenho lido mais livros teóricos sobre alguns assuntos que me interessam e que estou procurando aprender mais no momento como investimentos, empreendedorismo, marketing, etc.

Como tenho passado por algumas turbulências na minha vida profissional, às vezes me sentindo perdida e sem saber ao certo o que quero realmente fazer, acabei chegando neste livro do Bruno Mendes e logo fiquei empolgada para terminar de lê-lo.

A ideia base do livro é mostrar para as pessoas o que elas fizeram e/ou estão fazendo com as suas segundas-feiras. Como a grande maioria das pessoas está insatisfeita com a sua vida profissional ou até está satisfeita, mas odeia o local onde trabalha, odeia os colegas, odeia a rotina, isso faz com que automaticamente todos odeiem a segunda-feira.

Uma coisa que não acontece com quem é realizado profissionalmente, que ama o que faz e realiza seu trabalho com paixão, fazendo de todos os dias da semana uma sexta-feira, o dia mais aguardado por boa parte do mundo, pois é sinônimo de liberdade, final de semana, cerveja, festa, dormir ou qualquer coisa que você gosta de fazer para passar o tempo.

No livro o Bruno conta a história de várias pessoas que transformaram suas vidas no que elas realmente almejavam, que deixaram de lado todo o negativismo que muitas vezes nossos amigos acabam despejando em cima de nós mesmo sem querer. Pessoas que seguiram seus sonhos e hoje são totalmente felizes com seu trabalho e tentam ensinar como fazer para que você também consiga o sucesso tão aguardado.

É fácil perceber o quanto a maioria das pessoas fica triste quando a segunda se aproxima, tente entrar no Facebook no domingo à tarde/noite que vão chover memes do tipo “não acredito que amanhã já é segunda”, “na frase eu adoro a segunda-feira o sujeito está no mínimo de férias ou é aposentado” entre outras clássicas que vemos semana atrás de semana.

Mas a verdade é que não precisa ser sempre assim, só precisamos “levantar a bunda da cadeira” e ir atrás do que realmente importa para gente, independente de ser arriscado ou não. Acredito que mais vale um “eu tentei mas não deu certo” do que um “eu nunca soube se daria certo ou não”. O não nós sempre temos, precisamos apenas conquistar o sim.

Recomendo muito a leitura do livro, mesmo se você já gosta da sua segunda-feira, é bacana. Vale para refletir nossos dias e analisarmos o que estamos, ou não, fazendo da nossa vida.

Frases que me chamaram atenção no livro:

“Grande parte das nossas preocupações nunca vai acontecer. Os pais fazem isso. Eles botam os medos: ‘olha, ali tem crocodilo, ali tem onda.’ E você acaba não fazendo. Talvez se você não soubesse que aquilo pode dar errado, você iria até lá e faria.”

“Wendy Boswell, professora da Mays Business School, e mais dois pesquisadores constataram que, ao começarmos um novo emprego, estamos em uma relação de “lua de mel” com ele. Novas experiências,
pessoas e desafi os. No entanto, seis meses depois do início – se não for realmente nosso lugar – tendemos a entrar em um estado que eles chamam de “ressaca”, pois agora estamos estagnados, nada mais é novidade, tampouco excitante. Para piorar o quadro, os pesquisadores alertam que quanto maior a expectativa do emprego no qual acabamos de entrar, maior também será a ressaca.”

“Existe profissão e gosto pela profissão. Enquanto o gosto estiver acima da profissão, pode continuar, porque está tudo certo. Quando a profissão estiver acima do gosto, é melhor parar porque não será bem-feita. Quando essa inversão começou a acontecer comigo, eu me aposentei. Dessa forma, saí dos gramados ainda na seleção brasileira. Hoje sou comentarista e não só gosto, como amo o que faço.”

“A vida não é tão difícil quando se estuda. Ela é mais difícil quando não se estuda.”

“O medo de falhar existe, mas ele não pode travá-lo nunca. Tornar seus anseios de derrota em vitória é basicamente decidido pelo quanto você vai se esforçar para realizá-lo.”

Se alguém se interessar, o livro pode ser comprado, ou baixado (de graça) neste link.

Boa leitura!

Resenha: O que fizeram com a sua segunda-feira?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *