Olá, pessoas, como estão? Por aqui tudo bem.

Dando continuidade as resenhas da Série Feios, hoje vamos falar sobre o segundo livro: Perfeitos.

perfeitos-scott-westerfeld

Depois de ser enganada pela Dra. Cable, e trair sem querer seus novos amigos da Fumaça, Tally volta para sua cidade para finalmente virar Perfeita.

Mas depois de conviver alguns dias na Fumaça e conhecer David, Tally muda um pouco sua percepção de mundo e percebe que gostava de viver na nova cidade, mesmo sem o conforto que tinha na Vila Feia e sem todo o luxo que teria em Nova Perfeição. Após conhecer os pais de David, que antes de fundarem a Fumaça eram médicos em Nova Perfeição, ela descobre que a tão sonhada cirurgia para virar perfeita não era exatamente o que ela achava que era e descobre o porque de ter achado Peris meio avoado quando encontrou com ele após a cirurgia.

Depois que os Enferrujados conseguiram destruir a Terra, a população dessa nova Era encontrou um meio de tornar as pessoas menos agressivas e destrutivas, transformando-as em perfeitas. Mas havia um grande segredo por trás da operação que apenas os médicos sabiam. Para que as pessoas ficassem exatamente como eles gostariam, junto com a perfeição, elas ganhavam também lesões no cérebro. E o que essas lesões fazem? Deixam as pessoas avoadas. Vivem normalmente, porém só querem saber de diversão, festas, bebida e coisas banais.

Tally mesmo sabendo dos riscos que corria voltando para cidade, resolveu arriscar virar perfeita para salvar Shay das lesões, pois sua amiga foi capturada quando as Circunstancias Especiais invadiram a Fumaça e capturaram quase todos os moradores e em seguida tornaram Shay Perfeita. A mãe de David, Maddy, descobre a cura para as lesões e promete que entrará em contato com Tally para que ela recupere suas antigas memórias de feia após virar avoada e assim conseguir convencer Shay a tomar as  pílulas.

Enquanto o momento da cura não chega, Tally – sem se lembrar que havia combinado tudo isso com David e sua mãe antes de voltar para a cidade – curte sua nova vida de perfeita, com muitas festas e bebidas. Além disso, também está se preparando para entrar em um novo grupo, chamado Crims. Com sua reputação de feia na bagagem não seria muito difícil ser aceita no grupo, porém de qualquer forma ela tinha que passar pela votação. Através desse grupo Tally conhece Zane.

Os dois começam a se aproximar e logo engatam um namoro. Zane já havia percebido que algo havia mudado em sua cabeça após a operação, mas não sabia o que era. Por isso ele fazia o máximo para se ficar borbulhante, nome que eles deram para os momentos em que conseguiam pensar com mais clareza, basicamente pensar como uma pessoa sem as lesões.

Um tempo depois um velho amigo da Fumaça aparece em uma festa e “oferece” a cura para Tally, mas antes de ter acesso ao “presente” que o amigo deixou, ela tem que se mostrar merecedora e passa por um “teste” para encontrar. Quando finalmente encontram o que Croy havia deixado para ela, quase são pegos pelas Divisão de Circunstancias Especiais.

Depois de voltarem a serem “borbulhantes” o tempo todo, Zane e Tally planejam fugir novamente da cidade para encontrar a Nova Fumaça. A partir daí eles passam por várias coisas juntos até que finalmente conseguem armar uma fuga perfeita e esperam que dessa vez a Divisão de Circunstancias Especiais não estejam na cola deles.

Eu gostei do livro, mas igual ao primeiro, achei algumas partes meio chatas e monótonas. Mas de qualquer forma a trama em si eu achei sensacional e bem diferente.

Você pode ler a resenha do primeiro livro da série aqui.

Gostou do livro? Você pode comprar nesses sites:

Amazon

Americanas

Saraiva

Submarino

 

Resenha: Perfeitos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *