Essa série teve início no nosso Instagram (já seguiu lá? @blogapenasimagine) e resolvemos postar por aqui também porque os textos ficaram muito grandes para o caption do Instagram, assim, facilita a leitura:

Vamos falar sobre Tesouro Direto?

Vocês pediram e nós vamos descomplicar o assunto para vocês!

Serão 6 postagens falando sobre o tema, com as principais dúvidas enviadas por vocês na nossa caixinha de perguntas dos stories.

  • Vamos começar com a primeira dúvida: O que é exatamente o Tesouro Direto?

Mas antes de começar a falar do Tesouro Direto, deixa eu apresentar para vocês o Tesouro Nacional. Basicamente, o Tesouro Nacional é o caixa do Governo, ou seja, é o órgão público responsável pelo gerenciamento da dívida pública do Brasil. A partir de 1988 passaram a exercer atividades relacionadas ao fomento e administração da dúvida do país por meio de captação de recursos do mercado financeiro, através de títulos públicos. Mas naquela época, esses títulos só podiam ser comprados por instituições financeiras por meio de leilões.

Aí surgiu o Tesouro Direto. Em 2002 a Secretaria do Tesouro Nacional junto com a BM&F Bovespa (atual B3 – Bolsa de valores) se uniram para desmocratizar a compra e venda de títulos públicos federais para pessoas físicas. Assim, surgiu o Tesouro Direto.

Os títulos vendidos pelo Tesouro são ativos de Renda Fixa e emitidos pelo Tesouro Nacional em forma de escritura eletrônica, com o intuito de financiar o déficit orçamentário geral da União e as dívidas públicas. Ou seja, quando você compra um Título Público, você está ajudando a financiar as obras e dívidas do Governo, e por fazer isso, o Governo te devolve o dinheiro um tempo depois acrescido de juros. Por exemplo: você investiu R$1.000,00 em 20 de julho de 2020 e vai retirar R$1.330,00 em 30 de janeiro de 2023.

Para saber o quanto de dinheiro você vai resgatar daqui a algum tempo, tudo depende do título que você escolher para investir, as taxas, etc. Mas calma que nós vamos explicar cada um dos títulos existentes! Mas antes disso, vocês precisam saber o significado de algumas palavrinhas: Taxa Selic e IPCA+.

Então fica ligado aqui nessa série! Amanhã vamos desvendar a salada de frutas para depois saber quais títulos estão disponíveis.

Ainda não mandou sua dúvida? Comenta aqui embaixo!

Acompanhe também outra série sobre Educação financeira, sobre o Tesouro Direto:

Acompanhe outras postagens relacionadas ao tema:

[Educação Financeira] Série: Compreendendo o Tesouro Direto -1
Classificado como: