Essa série teve início no nosso Instagram (já seguiu lá? @blogapenasimagine) e resolvemos postar por aqui também porque os textos ficaram muito grandes para o caption do Instagram, assim, facilita a leitura:

Vamos continuar falando sobre Tesouro Direto?
Hoje vamos entender um pouco sobre as algumas palavras vistas quando se trata de investimentos no Tesouro Direto:

➡️ Taxa SELIC: é a taxa básica de juros da economia. Rege o valor base de juros em várias coisas, desde investimentos, até financiamento de carro, casa, etc. A cada 45 dias o COPOM decide se manterá o valor da Taxa ou se ela sofrerá alterações. Há alguns meses vemos nos noticiários que ela está em declínio. Hoje temos a taxa mais baixa da história (2,25%). Isso é bom para quem está endividado, pois pode renegociar as dívidas, mas é ruim para investidores porque os investimentos atrelados a taxa Selic passam a render menos. Atualmente a taxa está baixa para incentivar as pessoas a comprarem mais, fazendo nossa economia voltar a girar (e crescer).

➡️ IPCA: Sigla do Índice de Preços ao Consumidor Amplo, é medido mensalmente pelo IBGE, foi criado com o objetivo de oferecer a variação dos preços no comércio para o público final. O IPCA é a nossa tão conhecida inflação. Isso significa que todos os investimentos atrelados ao índice, vão estar “protegidos” da inflação, ou seja, seu dinheiro não perderá poder de compra com o tempo.

➡️ Juros Compostos: é a adição de juros ao valor principal que você colocou no seu investimento, o famoso “juros sobre juros”. É o poder dos Juros compostos que vão fazer os seus R$1.000 virarem R$10.000 depois de um certo tempo. Mas calma, antes de achar que o TD vai multiplicar rápido assim o seu dinheiro, é preciso conhecer a Taxa de Juros.

➡️ Juros e Taxa de Juros: é a remuneração cobrada pelo empréstimo de dinheiro (isso vale para investimento ou dívida). É expresso como um percentual sobre o valor investido (taxa de juro). Ou seja, se o investimento está rendendo 7% a.a, ao final do prazo, meu montante terá rendido 7% todos os anos pois foi minha taxa acordada na compra do investimento.

➡️ Liquidez: corresponde à facilidade com a qual o seu investimento vai retornar para sua conta. Nos investimentos temos vários prazos de liquidez: diária (quando o resgate do dinheiro cai no mesmo dia) e os D+. Quando o investimento diz que é D+1, significa que ele cairá no dia subsequente ao pedido de resgate. No TD é:

Resgate em dias úteis (0h00 às 18h00): a partir das 13h do 1º dia útil após a solicitação de resgate;

Resgate em dias úteis (18h00 às 0h00), finais de semana e feriados: a partir das 13h do 2º dia útil após a solicitação de resgate;

➡️ Imposto de Renda: Os valores cobrados na renda fixa são parecidos e possuem alíquota regressiva de acordo com o prazo que foi investido:

  • 22,5% resgate feito até 180 dias
  • 20% resgate feito até 181 a 360 dias
  • 17,5% resgate feito de 361 a 720 dias
  • 15% resgate feito após 721 dias.

O pagamento do IR é feito pelo próprio Tesouro, chamamos de “recolhido na fonte”, então quando fizer sua declaração anual, não será cobrado novamente. O IR incide em cima do RENDIMENTO e não do montante total aplicado.

➡️ IOF: Importante dizer que investimentos resgatados com menos de 30 dias sofrem cobrança de o Imposto Sobre Operações Financeiras além do IR, a alíquota também é regressiva.

➡️ Mais taxas? Sim, além de IR e IOF, os investimentos no Tesouro tem a cobrança de custódia da B3, mas é um valor baixo, de apenas 0,3% anual, que incide 2x ao ano, ou seja, 0,15% no começo do ano e 0,15% na metade do ano. Normalmente sua corretora envia um email avisando sobre isso. O valor a ser pago depende do valor que você tem investido.

➡️ E o Risco? Não precisa se preocupar com isso! O Tesouro Direto é o investimento mais seguro do país! Mesmo que você não goste e/ou não confie no governo pode ficar tranquilo, porque se o Tesouro quebrar, meu querido, teremos problemas muito maiores pra nos preocupar caso o país chegue a esse ponto! Pode confiar que é muito seguro.

Não se esqueça que todos os dias, até sábado, teremos uma postagem por aqui sobre o tema!

Ainda não mandou sua dúvida? Comenta aqui embaixo !

Acompanhe também outra série sobre Educação financeira, sobre o Tesouro Direto:

Acompanhe outras postagens relacionadas ao tema:

[Educação Financeira ] Série: Compreendendo o Tesouro Direto -2
Classificado como:                                            

2 ideias sobre “[Educação Financeira ] Série: Compreendendo o Tesouro Direto -2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *